terça-feira, 27 de setembro de 2011

MANHUAÇU FAZ PARTE DO CIRCUITO TURÍSTICO PICO DA BANDEIRA - localizado no Parque Nacional da Serra do Caparaó/MG.


O Comendador Fabrício Santos é o representante de Manhuaçu no Circuito Turístico Pico da Bandeira.


CIRCUITO TURíSTICO PICO DA BANDEIRA, AVENTURA E LAZER PARA OS JOVENS
Matéria do Jornal Diário de Manhuaçu
2011-07-07

MANHUAÇU – O Circuito Turístico Pico da Bandeira, localizado no Parque Nacional da Serra do Caparaó, é uma excelente opção de diversão para os jovens. A temporada de visitação fica aberta entre os meses de junho e agosto. Durante este período, é grande o número de pessoas que vão até o local para se aventurarem pelas trilhas, escalar o pico, que é o terceiro mais alto do país, ou simplesmente admirar a diversidade de riquezas naturais do local.

“Estamos em plena temporada de acampamento no Circuito Pico da bandeira, que é composto por vários atrativos muito interessantes. No Parque do Caparaó, o jovem terá a oportunidade de conhecer uma grande diversidade em fauna e flora. Ao mesmo tempo em que ele irá encontra vegetação típica da mata Atlântica, encontrará também vegetação de altitude. Como são baixas as temperaturas, em algumas épocas, pode-se, até mesmo, ser visualizado gelo no local. Além disso, as trilhas são muito bem trabalhadas e oferecem facilidade para o acesso e locomoção”, relata o condutor Carmélio Júnior.

Carmélio também fala sobre o Pico da Bandeira, que é o terceiro, entre os maiores do país. “O Pico da Bandeira é o terceiro mais alto do Brasil, com 2.882 metros de altitude, e o primeiro com acessibilidade. Com certeza as pessoas que tiverem o interesse de conhecer a área vão se deslumbram com e beleza natural que lá se encontra”, enfatiza.
O guia também explica que a subida ao Pico da Bandeira é feita em duas etapas e que percorrer a trilha durante a noite, deixa o passeio ainda mais belo. “A escalada é feita em duas etapas de caminhada, que duram aproximadamente duas horas e meia cada. A primeira fase é a saída do primeiro acampamento até o segundo. Depois fazemos um período de descanso e continuamos até o cume. A subida pode ser feita tanto durante o dia, quanto à noite. Mas a noturna é mais procurada, tanto pela beleza que a lua proporciona no decorrer do caminho, quanto pelo nascer do sol visto lá de cima. Nós ficamos cerca de 1,2 mil metros acima das nuvens. Quando o sol nasce é uma beleza indescritível” afirma.

Caso o jovem não se sinta a vontade para fazer a escalada, poderá conhecer as outras áreas do Parque Nacional do Caparaó. Na chamada parte baixa do Parque, podem ser visitadas, além das áreas de lazer, cachoeiras e trilhas. “Caso a pessoa prefira, ela pode fazer a visitação às partes baixas do Parque, onde se encontra uma central cinema, fotos e informações sobre a história local. Também tem a parte do Vale Verde, que é um lugar muito bonito, com várias cachoeiras e locais para se fazer churrasco. Já as aéreas de Camping são a tronqueira, que é o primeiro acampamento, e a Casa de Pedra ou Terreirão, que é o segundo”, explica Carmélio.
Quanto aos cuidados para quem decidir fazer o Circuito, Carmélio enfatiza que é indispensável contatar antes um guia, principalmente no caso daqueles que ainda não foram ao local. Além de descrever alguns outros itens indispensáveis para o passeio. “A primeira coisa para que nunca foi ao pico é entrar em contato com um guia ou condutor. Mesmo que as trilhas sejam bem trabalhadas e sinalizadas, é de grande importância a presença desse tipo de profissional, até mesmo para ditar o ritmo da escalada. Também e necessário levar um tênis bem confortável, agasalhos, alimentações secas e sem muita fermentação e bastante chocolate para aquecer o corpo e dar energia. Além de ser preciso muita disposição para encarar a jornada”, indaga.

Carmélio também ressalta que as maiores motivações para que os jovens optem por fazer o percurso é a superação de limites e a visualização das belezas naturais. “Uma das motivações é a superação de limites, pois você vai fazer uma caminhada de oito quilômetros em um dos locais mais altos do país. Além da adrenalina, do contato direto com a natureza e com as belezas naturais existentes no local, que proporcionam uma ótima sensação”, acrescenta.

Carmélio deixa também um convite à todos para que conheçam o Parque Nacional da Serra do Caparaó, que completou 50 anos no ultimo mês de maio e para que também aproveitem para escalar o Pico da Bandeira. “Nós estamos muito próximos de uma enorme riqueza natural, que é o Parque Nacional do Caparaó. Apesar de existirem outros locais que fazem parte do circuito turístico na região, ele é o grande atrativo. Por isso, convido a todos para que o conheçam. Mesmo aqueles que já ouviram falar que é uma escalada árdua e difícil, eu convido para que venham e nos procurem, pois temos uma equipe bem estruturada. Este é um passei que com certeza não será esquecido e até mesmo aqueles que já o fizeram, ao retornar, sempre encontram uma beleza nova”, enfatiza.

Uma boa dica para aqueles que nunca fizeram o circuito, ou que desejam fazê-lo novamente é o acampamento “Logo Ali”, organizado pelo próprio Carmélio, entre outros responsáveis. O passei inclui, além da escalada, visitas aos demais locais do Parque e informações sobre sua história. “O acampamento Logo Ali é composto por transporte, guia e alimentação. A escalada será feita durante a noite. Já durante o dia, nós visitaremos as partes baixas do Parque. Depois iremos para o primeiro acampamento e logo em seguida visitaremos a parte de cima, como o Vale encantado e cachoeira Bonita. Além de conhecer a estrutura que lá existe, os brigadistas e os chefes de montanha que ali permanecem. Vamos também conhecer a historias do Parque do Caparaó”, finaliza.

Nenhum comentário: