quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Diretor Municipal de Cultura de Manhuaçu Fabrício Santos participou do FÓRUM DE POLÍTICAS CULTURAIS DE MINAS GERAIS no dia 22/11/2011 na FUNART MG.




FÓRUM: 3º Encontro Temático - SNC/SISTEMA E PLANO NACIONAL DE CULTURA.

O Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais pretende ampliar o diálogo entre o Ministério da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, municípios e sociedade civil por meio desses encontros. Na ocasião, Estado e municípios serão mobilizados para estruturarem seus próprios sistemas, com órgãos gestores, conselhos, planos e fundos. Por intermédio destas estruturas, as políticas serão operadas.


FOTO:O Diretor Municipal de Cultura de Manhuaçu Fabrício Santos ao lado de Roberto Peixe - Secretário de Articulação Institucional do Ministério da Cultura.

FOTO: Comendador Fabrício Santos, Roberto Peixe(Secretário do Minc) e Eliane Parreiras (Secretária de Estado de Cultura de Minas Gerais).

Foto: Roberto Peixe (Secretário do Minc) e Miraídes Cordeiro (Secretária Municipal de Educação e Cultura de Montezuma)

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Natal Cultural resgata apresentações e enfeites natalinos em Manhuaçu.


O período natalino se aproxima e muitas cidades aproveitam a data para festejar, se enfeitar e entrar de vez no clima de chegada do bom velhinho. Em Manhuaçu, várias atividades acontecem, mas ultimamente são poucas as iniciativas que resgatam este espírito.

Neste período, na cidade, são realizadas cantatas promovidas por escolas, algumas residências e empresas ornamentam as fachadas e o comércio se aquece, mas em comparação com ações de outros municípios, isto é pouco. Pensando nisto, a ACLA (Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais), o site Manhuacu.com, o Programa do Conde e a Prefeitura de Manhuaçu promovem o 1º Natal Cultural e Iluminado.

O evento consiste em seis dias de apresentações tendo a participação de bandas católicas e evangélicas de Manhuaçu, feira de artesanato, teatro e dança, no centro da cidade, entre os dias 18 a 23 de dezembro.

O Diretor de Cultura, Fabrício Santos, informou mais detalhes do evento. “Procuramos diversos parceiros na realização desta iniciativa e a receptividade está sendo muito grande. Nosso objetivo é desenvolver uma semana cultural de natal em Manhuaçu com várias apresentações artísticas e vamos trabalhar para que a semana do Natal seja bem envolvente e atraente”, disse.

Diretor de Cultura, Fabrício Santos, destacou a importância do evento (foto: Geilson Dangelo)

Concurso:

Além das exposições, acontece paralelamente, concurso para premiar as residências e empresas enfeitadas. O regulamento e a premiação serão divulgados em breve no site www.manhuacu.com. Uma comissão nomeada pela ACLA irá visitar todas as ornamentações e o resultado será divulgado no dia 23 de dezembro.

“Demos inicio ao projeto Natal Iluminado que visa deixar a cidade neste clima natalino e embelezar as casas e empresas. Pretendemos premiar os que mais se dedicaram na ornamentação e que a cidade seja um destaque na região”, finalizou Fabrício.



Envie você também a sua sugestão de matéria, faça críticas ou peça o Manhuacu.com em seu bairro: contato@manhuacu.com

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA REALIZADA EM MANHUAÇU COM APOIO DO DIRETOR DE CULTURA FABRÍCIO SANTOS.


Zumbi foi o grande líder do quilombo dos Palmares, respeitado herói da resistência antiescravagista. Pesquisas e estudos indicam que nasceu em 1655, sendo descendente de guerreiros angolanos. Em um dos povoados do quilombo, foi capturado quando garoto por soldados e entregue ao padre Antonio Melo, de Porto Calvo. Criado e educado por este padre, o futuro líder do Quilombo dos Palmares já tinha apreciável noção de Português e Latim aos 12 anos de idade, sendo batizado com o nome de Francisco. Padre Antônio Melo escreveu várias cartas a um amigo, exaltando a inteligência de Zumbi (Francisco). Em 1670, com quinze anos, Zumbi fugiu e voltou para o Quilombo. Tornou-se um dos líderes mais famosos de Palmares. "Zumbi" significa: a força do espírito presente. Baluarte da luta negra contra a escravidão, Zumbi foi o último chefe do Quilombo dos Palmares.

O nome Palmares foi dado pelos portugueses, em razão do grande número de palmeiras encontradas na região da Serra da Barriga, ao sul da capitania de Pernambuco, hoje, estado de Alagoas. Os que lá viviam chamavam o quilombo de Angola Janga (Angola Pequena). Palmares constituiu-se como abrigo não só de negros, mas também de brancos pobres, índios e mestiços extorquidos pelo colonizador. Os quilombos, que na língua banto significam "povoação", funcionavam como núcleos habitacionais e comerciais, além de local de resistência à escravidão, já que abrigavam escravos fugidos de fazendas. No Brasil, o mais famoso deles foi Palmares.

O Quilombo dos Palmares existiu por um período de quase cem anos, entre 1600 e 1695. No Quilombo de Palmares (o maior em extensão), viviam cerca de vinte mil habitantes. Nos engenhos e senzalas, Palmares era parecido com a Terra Prometida, e Zumbi, era tido como eterno e imortal, e era reconhecido como um protetor leal e corajoso. Zumbi era um extraordinário e talentoso dirigente militar. Explorava com inteligência as peculiaridades da região. No Quilombo de Palmares plantavam-se frutas, milho, mandioca, feijão, cana, legumes, batatas. Em meados do século XVII, calculavam-se cerca de onze povoados. A capital era Macaco, na Serra da Barriga.

A Domingos Jorge Velho, um bandeirante paulista, vulto de triste lembrança da história do Brasil, foi atribuído a tarefa de destruir Palmares. Para o domínio colonial, aniquilar Palmares era mais que um imperativo atribuído, era uma questão de honra. Em 1694, com uma legião de 9.000 homens, armados com canhões, Domingos Jorge Velho começou a empreitada que levaria à derrota de Macaco, principal povoado de Palmares. Segundo Paiva de Oliveira, Zumbi foi localizado no dia 20 de novembro de 1695, vítima da traição de Antônio Soares. “O corpo perfurado por balas e punhaladas foi levado a Porto Calvo. A sua cabeça foi decepada e remetida para Recife onde, foi coberta por sal fino e espetada em um poste até ser consumida pelo tempo”.

O Quilombo dos Palmares foi defendido no século XVII durante anos por Zumbi contra as expedições militares que pretendiam trazer os negros fugidos novamente para a escravidão. O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695.

A lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Nas escolas as aulas sobre os temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, o qual propiciará o resgate das contribuições dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.

Fonte: www.brasilescola.com

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

ACLA/MG E ROTARY CLUB DE MANHUAÇU HOMENAGEIAM O PIANISTA MARCELO CORRÊA COM TROFÉU CULTURA E MOÇÃO DE APLAUSOS NO DIA 13/11/2011.


ACLA/MG através do seu Presidente Fundador Comendador Fabrício Santos, homenageia o pianista Marcelo Corrêa com Troféu de Mérito Cultural Samuel Brandão, na apresentação do pianista no almoço no Rotary Club de Manhuaçu no dia 13 de dezembro de 2011. O Rotary Club de Manhuaçu também prestou homenagem ao pianista através do Presidente Daniel Ferreira e outros companheiros do club, com um certificado de Moção de Aplausos. Foi um grande evento com show de piano clássico e um momento especial de confraternização e companheirismo.






















ACLA/MG E ROTARY CLUB DE MANHUAÇU HOMENAGEIAM O PIANISTA MARCELO CORRÊA COM TROFÉU CULTURA E MOÇÃO DE APLAUSOS NO DIA 13/11/2011.

ACLA/MG faz a entrega do Troféu de Mérito Cultural Samuel Brandão ao pianista Marcelo Corrêa em apresentação no Rotary Club de Manhuaçu.


ACLA/MG faz a entrega do Troféu de Mérito Cultural Samuel Brandão ao pianista Marcelo Corrêa em apresentação no Rotary Club de Manhuaçu. A entrega foi feita pelo Presidente Fundador da ACLA/MG Comendador Fabrício Santos no dia 13 de dezembro de 2011.



domingo, 13 de novembro de 2011

Show de clássico em Manhuaçu no dia 13/11/2011 com "Especial Homenagem ao compositor Franz Liszt (1811-1886). Apoio ACLA/MG e Rotary Club de Manhuaçu.


Show de clássico em Manhuaçu com o pianista Marcelo Corrêa no dia 13/11/2011 com "Especial Homenagem ao compositor Franz Liszt (1811-1886). Apoio ACLA/MG e Rotary Club de Manhuaçu.

O pianista Marcelo Corrêa estudou em Belo Horizonte e, em 2002, tornou-se bacharel em Piano com nota máxima pela UFMG, onde em 2004 concluiu o curso de Mestrado em Performance. Vencedor de vários concursos, em 2006 realizou turnê pela França com o espetáculo “De Carne e Sonho”. Vem realizando este ano o projeto “Piano nas Igrejas” como parte das comemorações dos 300 anos da invenção do piano e dos 200 anos do nascimento do compositor Franz Liszt (1811-1886). Desde 2004 é professor da Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais e da Escola de Música do Centro de Formação Artística do Palácio das Artes.

REVOADA DO MANHUMIRIENSE AUSENTE E SHOW CLÁSSICO COM O PIANISTA MARCELO CORRÊA - PRESENÇA DO PRESIDENTE DA ACLA/MG COMº. FABRÍCIO SANTOS.







REVOADA DO MANHUMIRIENSE AUSENTE E SHOW CLÁSSICO COM O PIANISTA MARCELO CORRÊA - PRESENÇA DO PRESIDENTE DA ACLA/MG COMº. FABRÍCIO SANTOS